sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Sobre a intenção da arte

(Coloquei título hehehe)

Qual objetivo quando produzimos alguma arte, em particular um texto?

Para ser mais específico. Qual a interpretação que queremos que o leitor tenha do nosso texto, ou não tem importância, basta que o leitor viaje nele?
Vamos analisar os dois lados.

A liberdade de interpretação estimula a inteligência, enriquece o debate, faz-se possível ver determinado assunto de vários ângulos, ampliando o ponto de vista. Quando um texto não é objetivo, não tem por função prender o entendimento, permite que uma mente cresça dentro de seus parâmetros.

Mas quando se quer mandar uma mensagem direta, sobre algo específico, a livre interpretação é algo maléfico, pois pode desvirtuar o conhecimento, distorcer a mensagem, e gerar um entendimento completamente equivocado.

Nunca li a fundo as obras do Willian blake; sei que o Jim Morrison era amante da obra do cara.
Algumas pessoas acham que o Jim entendeu errado a mensagem, que quando o blake fala sobre purificar a porta da percepção, é no sentido de torna a alma mais limpa, mais pura, talvez através da meditação ou outras técnicas, e não através das drogas.
Pode ser que o Blake disse uma coisa, e o Jim, com a sua liberdade de interpretação, entendeu outra.

Fica o dilema, que na verdade pouco importa. Ter liberdade de interpretação ou seguir um caminho determinado pelo autor? Não importa, o leitor irá fazer o que der na telha; se ele achar que deve “viajar”, vai “viajar”; caso ache que deve prender-se aos conceitos determinados pelo autor, vai prender-se. Então do que vale está postagem?

Alguns textos são feitos para viagem, e outros com um objetivo central, e pouco importa com qual objetivo ele foi criado, o leitor irá determinar como o entendimento irá fluir.

Este texto tem como objetivo uma mensagem concreta; a indagação sobre a interpretabilidade textual, e assim, possibilitar uma viagem.

(acabei de saber, passei pra uerj; não é uff, nem ufrj, mas estou feliz :P )


14 comentários:

Rafael disse...

Acabei de saber não passei na UESC.
Tou nem aí.
Quero mesmo começar minha pós. Uma outra graduação não é interessante no momento.
E por que fez o vestibular?
Oras queria passar. :P
ou melhor dizer passei tou feliz, mas não vou cursar.

Sobre arte:

ah vou falar nada sobre arte não.

Abraços afetuosos \o/

Mocuishle disse...

Primeiro os meus parabéns por ter passado no vestibular. Infelizmente, é o mais baixo dos vôos.

Blake é gênio. É preciso ser sóbrio para alcançá-lo e não era bem o forte do Jim M..

Se a arte tiver mesmo uma intenção, eu digo que é mal intencionada; ou não pareceria sempre tão obscura, inclusive aos seus criadores!

Encontrei seu blog por um feliz acaso e espero não ser atrevida demais deixando meus pareceres.

Feänor disse...

Engraçado você dizer isso...

Eu já fui ateu. Hoje em dia, tenho um lado espiritual que independe de religião. Sigo basicamente a filosofia do Joseph Campbell, e encaro todas as religiões e lendas como mitos explicativos da verdade inconsciente do universo emanados de nós mesmos.

Não sei se você o conhece, mas se não conhecer, tente ler Joseph Campbell... pela sua orientação, talvez seja proveitoso. Outra leitura que poderia lhe recomendar é um livro do Häns Kung que se chama "As Religiões do Mundo", onde o autor faz um estudo comparado daquila essência compartilhada por todas as religiões. É muito interessante, um ótimo estudo comparado das religiões...

Sobre este post, digo o seguinte:

Sim, creio que você está certo...

De fato, existem duas classes de textos: os que querem passar uma mensagem específica, e os que simplesmente desejam mexer com os sentimentos do leitor.

Preciso, portanto, retificar o que disse antes: como meus textos não desejam passar mensagens específicas - senão de maneira eventual e, ainda assim, secundária - eles são de interpretação livre.

Agora, se meu texto tivesse a intenção de fazer uma crítica política, por exemplo, creio que o mais interessante seria dar um jeito de transparecer a minha orientação interpretativa para que eu pudesse "doutrinar" os que estão lendo.

Não gosto desta palavra... Doutrinar... Motivo pelo qual eu não escrevo nada político. Mas é bem isso que procuram fazer, na maioria das vezes, ao discutirem política - embora, claro, existam exceções.

Mas é só um exemplo... Você mesmo citou outros.

E parabéns por passar no vestibular, e em uma ótima faculdade! Passou em que curso?

Abs!

Mari Martins disse...

E eu passei pra FAETEC!
Tô feliz, mas confesso que a minha mãe está mais. E a minha tia tbm.

Parabéés por ter passado no vestibular !

bju!

CUIDADO disse...

Caramba que massa,
mt bom o texto e até me abriu os olhos pra certas coisas e sobre a facul,meus parabéns......ano que vem sou eu!!! uhuuuuu

Beijos

CUIDADO disse...

mas hey,que curso?
*curiosidade*

Jul!o disse...

Parabéns viu!

E arte pra mim é aquilo que nos toca, que nos faz sentir, que tem uma ação efetiva em nós....

Regy Angel disse...

Valew pelo conselho...
vc esta certo...sei disso...
Quando postei estava meio revoltada...
Tive alguns problemas...
as vezes nao pensamos pra falar as coisas...
beijos...
Obrigada

ROBERTA disse...

Primeiramente parabénss por ter passadoo no vestibuu!...
Adorei o post. muito descontraído!.

heheh

ah! e obrigada por ter comentado lah nu meu blog e pra ser sincera o coração tah partidu só um pokim. rsrs rapidim ele toma vergonha na cara!..
e o moçu aí, anda inspirado com a arte ein!.. ehehe isso eh bom.


bJuX!

Fire disse...

Párabens!! Muita sorte daqui pra frente!

Obrigada por sua visita em meu blog, o texto que vc comentou foi o meu namorado que escreveu, o meu tah em baixo se quizer entender :P

Párabens pelo blog, muito bem organizado!

Abraço

Neemias Martins Barboza disse...

Parabéns ao mais novo integrante da Elite Cultural Brasileira!!!
Mas q curso brow!!!
Adorei o blog!!!
Agora me de uma visitinha lá no meu blog. sou novo aki e preciso de uns bizus!!!
Abçãum!!!

Princess Belle disse...

Olá
Bem sobre o que escreveu no meu blog, é eu sei que achar alguém que tenha sido original,é voltar a questão: Quem veio primeiro o ovo ou a galinha.

E com relação ao seu texto.
Eu quando escrevo difícilmente me preocupo com a interpretação do leitor (sei que isso é um erro), mas é que as vezes as palavras sugem tão rápido na minha mente que nem sei. Mas quando quero que o leitor entenda as possíveis menssagens subliminares de meus texto, ou as deixo explícitas com perênteses ou faço um "P.s" após.

Mas gostei da questão que você levantou, me colocou a pensar.

Abraços.

Princess Belle disse...

E á parabéns por ter passado no vestibular!!

^_^

Mila disse...

parabens!
passei pra uerj tbm..mas nem vou...
me add no orkut..fiz pra pedagogia e historia...
bjs!