segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Por entre caminhos tortos

a carne é fraca, o coração mais ainda
passos apressados e a vida quase perdida
é no final dos tempos que encontramos contratempo
jogos corridos praticados em qualquer campo
no apego dos desejos é que vamos errando
pecados por dentro acelaradamente queimando
qual dos sete males você mais recrimina
pratica internamente e externamente abomina?
onde o desejo desafina com a vontade
em qual de suas faces encontramos a verdade?
acorrentados, iludidos no que se chama modernidade
confundimos capricho com simples necessidade
turbilhões de quereres nos tiram toda clareza
perdemos o que poderia vir a ser uma fortaleza
e vamos levando a vida pra frente
até que a morte nos brinde de repente
nada resta além das virtudes, dos tesouros da alma
além dos jogos deste mundo é o que pode propocionar verdadeira calma

3 comentários:

Andressa P. Cruz disse...

Todos, pratico absurdamente todos e os recrimino o tempo todo, mas não os levo a sério.

Beijo
Boa semana

Rodrigo Cavaleiro disse...

E se a verdade não estiver em nenhuma face?

=P

Millena Blogueira disse...

As vezes encontramos as respostas da vida por caminhos tortos.