terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ao modo antigo

sou uma menina ao modo antigo, daquelas românticas
que escrevem sonhos no caderno e segredos em cartas
que acreditam em amores verdadeiros e sinceros
daquelas que esperam no porto o marinheiro fiel
que fazem crochê para alguém especial
que preparam doces com carinho
que sorriem felizes debruçadas na janela
sou do tipo raro, do tipo passado
daquelas que acreditam em filhos e netos, em família feliz
que usam vestidos e tranças
e correm na poeira ao encontro de alguém
daquelas que olham nos olhos com esperança
e paro chão com vergonha
que se derretem por um simples agrado
uma atenção, um sorriso especial
que fazem nas nuvens sua morada especial
à espera de um encontro apaixonante
que fazem pedidos à lua,  à estrelas, à fadas
que cantam na beira do lago seus desejos sinceros
daquelas que acreditam nas pessoas, nas palavras
sou quase extinta
sou daquelas que para alguns é lenda
que só existe no cinema

6 comentários:

Lú Rapozzo disse...

Q poema lindo *-*
me apaixonei ;D

vou pôr no meu blog tá ?!
http://www.lu-rapozzo.blogspot.com/
depois dá uma olhadinh ^^

beijuxx
;**

Copélio disse...

Espécie em extinção mesmo !!
abção

Clube do Filme disse...

Ficou muito bom mesmo.. bem escrito..

Karla Hack disse...

LIndos versos...
Espécie em extinção mesmo..
;D

Lenivaldo Silva disse...

Romanticos são poucos, românticos são loucos desvairados. Que querem ser o outro, que pensam que o outro é um paraíuso.
Românticos são lindos. Romanticos são limpos e pirados, que choram com baladas, que amam sem vergonha e sem juízo.

M. Araújo disse...

Eu daria meu endereço pra quem achasse essa menina no Brasil!