quarta-feira, 30 de junho de 2010

Arrisco seus cabelos verdes

Ela veio do norte, sem pretensões e ambições.
A vida não é mais que uma festa multitemática
Em estradas com curiosidades futeis.
De carioca a espanhola, com olhos clichês
Refletidos num copo de vodka,
Numa noite quente de outono;
Mas ela sente frio.

Entre assuntos tão normais,
As novidades que não vimos tv,
Ouvimos o porteiro comentar
E não tardamos a criticar
O assunto popular da vez,
O tira gosto ruim da esquina.

Ela é a dona da louça da vez.
A turma continua a conversar.
Do canto do sofá mesclo
A fumaça do cigarro com seus cabelos verdes,
Imagino uma cena de cinema,
Um beijo de novela russa;
Mas nunca vi novela russa.
Continuo a viajar.

Ela joga um prato na parede,
Um protesto contra o frio.
Todos acham muito rock n roll,
Mas não param a jogatina.
Pego o violão com as cordas enfumaçadas,
Arrisco cantar seus cabelos verdes.
De carioca a espanhola.
De pele escura.
Arrisco seus cabelos verdes.

13 comentários:

Thiago Augusto disse...

poxaa cara,muito bom o poema!me identifiquei bastante : P

Diario Astral disse...

Sorry li o carioca a espanhola e ri porque estou na Espanha x) ahha bobagem...

Show de bola :D

E sim, agora acredito que volto de vez, a nao ser que eu tenha medo de novo por acontecimentos rarissimos rss, porem creio que estou cada vez ficando menos medrosa :)

Beijoss e estou seguindo.. :**

Jessica Jin disse...

Por isso mesmo que digo que quem pensar em questionar o amor deve beber sicuta! Os filosofos eram condenados a morte bebendo sicuta, por questionar segundo o governo, coisas que não deveriam ser questionadas =)

vanessa disse...

Nossa, me identifiquei também *---*

Ana Laurentino disse...

A subjetividade e as emoções de cada um, são capazes de serem repassadas somente por quem acredita no que escreve.
Lindos versos, lindos !

Karla Hack disse...

Adorei como tudo exposto foi..
Intimista e intenso...
Lírico!
;D

Iuri Adônis disse...

isaua não sei que tipo de texto é es
se mas eu gostei. Revisa o texto antes de postar, é uma boa dica.

ótimo blog. Abraço

Fabiano disse...

mto legal a forma como escreve. diferente de mtas coisas que já li nos blogs. parabéns.

Juliane Bastos disse...

nooossa, super diferente mesmo. tu usa as palavras de maneira que faz a gente pensar bastante. gostei :D

parabéns e sucesso sempre zo/

Miguel disse...

bonito poema, mais quando vi o cabelo verde só lembrei da Marimoo

Raomi Pani disse...

bebi do poema e me embriaguei como há tempos não me embriago. '

sinceramente bom. sinceramente. '

Danilo de Lima disse...

Muito bom o texto! Gostei mesmo! =D

Quando puder, visite e comente meu último post: http://desquotidiano.blogspot.com/2010/10/sexo-suor-e-sangue-2.html

Canto do Lufa disse...

um belo poema