domingo, 17 de fevereiro de 2008


Estou aqui para desmistificar a idéia errônea de que o funk é um tipo de música sem a menor qualidade. Se vocês pensam que o funk atual é simplesmente pornografia e violência, e não tem mais nenhum resquício das letras de protestos do seu início, é porque vocês não conseguem ver o quanto as letras evoluíram, e só os mais inteligentes conseguem perceber a sutileza dos protestos nas letras, que aparentemente são violentas e pornográficas.


Observem algumas letras, e vejam como são geniais!

“Creu, Creu, Creu, Creu”

A letra faz uma crítica aos políticos que só fazem roubar e deixam o povo na miséria. Fazem várias armações, ganham milhões, e o povo que paga o pato. São mensalões, cartões,...


“É créu neles... Pra dançar créu tem que ter habilidade”

Vejam!!! Essas manobras políticas e econômicas são complicadas, o povo não entende direito, e por isso acha que não pode fazer nada. Enquanto os políticos cantam: Créu neles.

“Ela balança mas não pára (tugudugudugudugudu....)Balança mas nunca páraEla balança mas não pára (tugudugudugudugudu....)”

Mais uma vez, uma crítica contra a classe corrupta. Classe que mesmo com muitos escândalos, não sai do poder. Às vezes parece que vai ter punição, mas nada... Pegam meia dúzia pra judas e continua tudo na mesma.

“eu vou pro baile, de sainhaAgora eu sou solteira e ninguém vai me segurar”


No trecho acima, o autor faz uma severa crítica para a falta do valor familiar. Nos dias atuais, o casamento passa a ser coisa de momento, casa-se e descasa-se muitas vezes, e dá-se a isso o nome de modernidade.O casal separa e saí por aí tendo relações com a primeira pessoa que aparece na frente; fazem vários filhos em casamentos diferentes, e a criança cresce sem uma base familiar concreta.

“Sou cachorrona mesmoE late que eu vou passar”

Observem como a música critica a falta de respeito com a mulher. Perdeu-se o sentindo das coisas. Antes para conquistar uma mulher, dizia-se um elogio: linda, flor, princesa,... Hoje se usa a ofensa: Cachorra, Piranha, Vagabunda...


“sou eu bola de fogo,e o calor ta de matarvai à praia da barra,que uma moda vou lançarvai me enterrar na areia?não,não,vou atolar,”

Aqui temos a preocupação com os problemas ambientais. O autor menciona o calor excessivo, causado pelo aquecimento global. E, percebam!!!O aquecimento global provoca o aumento do nível o mar; onde antes a pessoa era enterrada na areia como forma de terapia, agora atola o pé na água quando onda volta.

Perceberam! Em todo música de Funk existe uma mensagem positiva. Espero que comecem a apreciar esse estilo de música e letra maravilho.

9 comentários:

Mila disse...

kraak...mtoo legal o texto...
auhuauh
particularmente,eu soh desejo a morte do funk!

Feänor disse...

Muito bom o tom do texto! rs

Bom, já aproveito pra avisar que "to na pista pra negócio" e que "o bagulho tá sério, vai rolá o adultério!"

rs

Princess Belle disse...

auahuahauahuaha

Adorei o texto!!

Tá bom pra ficar junto com um em que eu escrevi!!

Beijos queridoo

Rafael disse...

Nossa cara gostei da ironia. Parabéns mesmo.

Angel Ilanah disse...

creu neles, huahuauauahaaahua

tem que ter habilidade e são 5 velocidades, mega hiper de protesto, não precisa nem pensar pra entender :O

Rodrigo disse...

Creeeeeeeeeeeeeeeeeeuuuuu

eu sei de onde sai a ideia da musika creu ! =P

http://foco-digital-2.blogspot.com/2008/03/aprendendo-partidura-da-musica-cru-p.html

Dancer disse...

bem bolado ;D

ana disse...

hahaha...mto bom esse post!
creu neles!
hehehe

visite-me:
www.redescobrindosp.blogspot.com

luiz scalercio disse...

cara seu blog e bom mesmo .
prbns para creu .