sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Orgulho é desejo maldito
Desejo egoísta
Falso conforto da alma
Egoísmo é criativo, foi dito
Malabarista atrás da conquista
Satisfação repousada na calma

É tudo mentira!

Não há calma, há vício
Aqui estou, na recaída
Na face da madeira
Trabalhando meu ofício
Cedendo à vontade maldita

Aí não é igual, ser?
A mesma estrutura
Compartilhamos pecado
E o que disso vai nascer?
Essência forte, madura
Ciclo de vício, amaldiçoado

Coragem, infeliz
Lance-te à caneta
Vomite teu interior
Deixe o segredo por um triz

Ambos são um planeta
O terror natural causa pavor
Minha nacionalidade é única
A sua, múltipla, imperfeita

Ser infiel
Imperfeito é, também, o lado de cá
Regra que o ego não respeita
Tornando improdutivo o fel

Coragem, criatura
Viva teus dias
Aviva meu orgulho
Seja minha magistratura
Minha alma em magias
Sombreando o entulho

Um comentário:

jheison disse...

nussss o que te aconteceu para tu escreveres isso?

que depressao é essa?
hehehehe, se tu entrares em meu blog vai encontra o mesmo ^^
me AMARREI...
muito show cara...

parabens... ^^

abraço